Operadoras recebem 2,8 mil reclamações na região de Campinas

Postado por em 10 setembro 2012, às 09 : 10 AM Imprimir


Dados do Procon são do primeiro semestre; especialista diz que número tem refletido crescimento da demanda

Assim como no restante do País, o serviço de telefonia celular segue trazendo transtornos aos consumidores da RMC (Região Metropolitana de Campinas). As cinco operadoras de telefonia móvel receberam neste ano 2.891 reclamações nos Procons de Americana, Campinas, Hortolândia, Santa Bárbara d’Oeste e Sumaré. A campeã de reclamações é a Claro, com 1.233 queixas, seguida por Tim, com 777 reclamações, Vivo (387), Oi (307) e Nextel (187).

Os dados de Americana, Hortolândia e Santa Bárbara d’Oeste referem-se ao primeiro semestre. O advogado Orlando Guimaro Júnior, ex-presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB-Piracicaba e que possui especialização em Direito Contratual pela PUC-SP, afirma que o crescente número de reclamações contra as operadoras de telefonia celular tem relação com o aumento na demanda, que extrapolou a capacidade operacional.

ORIENTAÇÕES

Ele recomenda aos consumidores primeiro procurar a operadora e guardar comprovantes das queixas por escrito. Um segundo passo é procurar o Procon de sua cidade, e caso o problema persista, buscar o Juizado Especial Cível.

“É importante comunicar essas irregularidades e notificar por escrito. O Procon tem sido um órgão bem eficiente, e depois tem o Juizado Especial Cível. A Justiça avalia cada situação, por isso é preciso apresentar a queixa com clareza e elementos que comprovem o problema”, acrescentou o advogado.

QUEIXAS

O diretor do Procon de Hortolândia, Robson Fontes Paulo, explicou que as principais reclamações recebidas no município dizem respeito a créditos que não são inseridos, reclamações de ligações que não são realizadas e dificuldade na rescisão contratual. “Normalmente as empresas são tercerizadas, e ganham por produtividade. Tem consumidor que vem somente para intermediar a rescisão”, disse Paulo.

Ele afirma que cerca de 87% das reclamações que chegam ao órgão são solucionadas antes de virar ação judicial. “Temos um índice grande de reclamações solucionadas, porque as empresas ficam temerosas em ir para o ranking (das instituições com mais reclamações), então a nossa margem de êxito é grande”, completou o diretor do Procon de Hortolândia.

Cartas gigantes são feitas

Visando melhorar a qualidade do serviço de telefonia celular, a startup de Internet Konkero lançou o projeto Alô, quero falar! e vai enviar cartas de reclamações quilométricas às operadoras.

Por meio do site www.alo querofalar.com.br, os usuários podem enviar suas reclamações sobre os serviços prestados pelas cinco principais operadoras de telefonia móvel do País: Claro, Nextel, Oi, TIM e Vivo. Na primeira semana que o site está no ar, foi registradas 1.585 reclamações, e 37 foram da RMC (Região Metropolitana de Campinas).

O site ficará disponível por 30 dias para que os clientes relatem seus problemas. As reclamações serão impressas em cartas quilométricas e, depois, direcionadas às operadoras. Ao todo, a carta está com 51 metros. Ao final da ação, a equipe da Konkero irá compensar a impressão das cartas plantando árvores.

A Konkero entregará as cartas às operadoras, à Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) e ao Ministério das Comunicações.

http://portal.tododia.uol.com.br


Compartilhar no Facebook

Cidades Notícias

Veja também

Deixe seu comentário

O conteúdo dos comentários são de responsabilidade de seus autores. Os comentários são moderados pelo OMV e não serão publicados no momento da postagem. O OMV poderá não publicar o comentário se assim julgar necessário.

Alternar para o modo Desktop do blog